segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Dilma diz: maioria absoluta da Petrobrás não é corrupta



Confortavelmente na Austrália, em seu terno elegante e respondendo de forma tranquila a todas as perguntas.



(Foto: Reprodução/GloboNews)


Desde a prisão dos chefes dos empreiteiros no  escândalo da Petrobrás, a presidente exaltou o mérito do governo de estar investigando a corrupção, pela primeira vez na história do Brasil e ainda acusou os governos anteriores (Lula?) pela corrupção que está acontecendo hoje. Para ela o escândalo será um marco na história do país.

"Com certeza pode mudar o país para sempre." Só não no sentido que a presidente coloca "de que se vai acabar com a impunidade". E ainda diz que nem ela nem o país vai vão se abalar por causa disso. Peraí presidente, fale por si e pelos seus conhecidos, apadrinhados e próximos. Boa parte do povo está indignado e não poderia ser diferente. 
Faz parte do jogo democrático, disse ela, mas como? Então é preciso haver sangria nas empresas públicas para que se demonstre que o Brasil é um país democrático? 

E novamente vem dizer que se a, b ou c fizeram algum "malfeito" (essa palavra deveria ser trocada pela correta e que melhor exprime o ato) serão investigados e punidos, veremos. Afirma ainda que não serão todas empresas a pagar do país a pagar. Claro que não, apenas as envolvidas:

Petrobrás, por enquanto através de Renato Duque, ex-diretor de serviços. 

OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, presidente, Mateus Coutinho de Sá Oliveira, vice-presidente do conselho, Alexandre Portela Barbosa, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor, José Ricardo Nogueira. 

Engevix, Gerson de Mello Almada, vice-presidente, Carlos Eduardo Strauch Albero, diretor, Newton Prado Júnior, diretor, Queiroz Galvão, Ildefonso Collares Filho, ex-diretor-presidente, Othon Zanoide de Moraes Filho, diretor. 

UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente, Ednaldo Alves da Silva , Walmir Pinheiro Santana, Carlos Alberto Costa Silva.

IESA, Otto Sparenberg, diretor, Galvão Engenharia, Erton Medeiros Fonseca já presos.

Camargo Correa Eduardo Hermelino Leite vice-presidente  e Mendes Junior Sérgio Cunha Mendes diretor-vice-presidente-executivo ainda com mandatos a cumprir.

Outros mandados virão a público, certamente.



De causar escândalo é a defesa da honra dos funcionários (perfeitos) da Petrobrás. Segundo a presidente, a maioria absoluta não é corrupta. E ainda faz questão de lembrar que um dos maiores casos de corrupção investigados do mundo foi da gigante de energia americana Enron, que faliu. Será que se a Petrobrás chegar a esse ponto será apenas um número estatístico semelhante? Nada mais? 



* A corrupção não é uma invenção brasileira, mas a impunidade 
é uma coisa muito nossa.  - Jô Soares -


2 comentários:

  1. Veja nossa presidenta; como sempre redundante no discurso (como se espera de um "bode expiatório"), parecia estar em campanha.

    Faltou bater no peito e dizer que só houve êxito nas investigações porque ela mesma mandou a PF investigar, como fez nos debates antes das eleições.

    O país não vai mudar pra sempre depois desse escândalo, assim como não mudou depois do impeachment, do mensalão e de outros eventos do tipo. Detesto discurso demagogo.

    Além disso, é muito fácil dizer que a maioria da Petrobrás não é corrupta. A cúpula principal é corrupta. Quantos funcionários da Petrobrás poderiam desviar bilhões?! E o que é pior, todos estavam subordinados diretamente a ela no Ministério de Minas e Energia. Atestando a própria incompetência com as punições. E atestando também que tem as costas quentes, porque obviamente ela sabia de todos os esquemas. Se alguém perguntasse a ela: "Você sabia dos esquemas ou era só uma péssima gestora?" Alguém consegue imaginar a resposta?!

    Mulher vazia, incompetente e manipulada. Quase posso ver os fios nos dedos e braços. Marionete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não mudará disso temos certeza, afinal sabemos por quem estamos sendo governados e qual a intenção de quem aí está e do que deseja ser o próximo e, não tenho dúvidas, que queira ser o último governante eleito. E concordando contigo é mesmo possível ver os cordelinhos, também por uma razão simples: governam como se não tivessem obrigação nenhuma para com o povo e explicações então, estas é que estão mesmo fora de questão.

      Obrigada pelo comentário.

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.