terça-feira, 14 de outubro de 2014

Generosa Petrobrás US$ 434 milhões de indenização à Bolívia


Brasil e Bolívia têm contratos para fornecimento de gás. Isso é normal, relações entre  países  geram  importação e exportação. Tudo  isso é contratado, mas do Brasil  para a Bolívia, em setembro  passado aconteceu  algo que, por  mais explicações que  venham a dar, não serão  suficientes  para justificar tamanha desfaçatez. 


A Petrobrás, empresa brasileira,  em sérias dificuldades  financeiras  por conta da má gestão  e da  corrupção,  pagou à Bolívia US$ 434 milhões a mais do que o contratado. A explicação para a "indenização" de tal valor, por parte da Bolívia é de  que o gás exportado  para o Brasil é "rico"  (pelo valor deveria ser milionário rsrs),  com  componentes nobres usados  na indústria  petroquímica, porém destinou-se à geração de  energia térmica.  Para ficar  tudo muito melhor é retroativo, relativo  ao período de  2008 a 2013,  isto significa que poderão cobrar pelo ano de 2014, futuramente?


A gentil Petrobrás atendeu a uma reivindicação (no nosso velho e bom dicionário de português: exigência) do governo de Evo Morales feita na era Lula. Causou espanto até na esfera oficial, disse uma fonte do governo ao jornal Valor (9/10). "Não havia por que pagar por um produto que o Brasil não utilizou e que não estava previsto em contrato." 


O acordo foi rápido entre o presidente da fornecedora boliviana YPFB, Carlos Villegas, e o diretor da Área de Gás e Energia da Petrobrás, José Alcides Santoro. Segundo analistas, a estatal cedeu porque teria levado em conta a necessidade de a Bolívia entregar o gás prometido a uma termoelétrica de Cuiabá. O governo Morales usou de um expediente eficaz: ameaçava não atender a termoelétrica de Cuiabá. 


Contratos bilaterais devem atender os interesses das partes. É abominável a submissão do governo brasileiro cedendo à pressões da Bolívia. Essa reivindicação retroativa, e particularmente nesta época, recebeu o nome de "indenização". Em outros tempos esse tipo de negociação era designada por outro termo. Os tempos não mudaram, devem ter mudado os valores!



* O chantagista disfarça sua incompetência, o chantageado revigora o ego... ambos alimentam-se ... (desconheço a autoria).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo