quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Escritores que morreram muito jovens



A tuberculose foi a doença responsável pela morte de três destes jovens escritores. Foram-se é responsabilidade dos que ficam (...) não deixar que esse caminho termine.

                                                                  Emily Brontë 


elfandarilha



Se você nunca ouviu falar de Emily Brontë, o motivo talvez seja o pseudônimo masculino que ela escolheu para escrever: Ellis Bell. Ela é a autora de O Morro dos Ventos Uivantes, um clássico da literatura mundial. Embora tenha recebido críticas na época em que foi lançado, posteriormente o livro foi incluído no cânone dos clássicos da literatura inglesa. Recebeu várias versões oficiais no cinema e inúmeras adaptações. Emily morreu de tuberculose, aos 30 anos.


                                                                   Castro Alves


elfandarilha



O poeta brasileiro Antônio Frederico de Castro Alves teve fase de intensa produção literária e a do seu apostolado por duas grandes causas: uma, social e moral, a da abolição da escravatura; outra, a república, aspiração política dos liberais mais exaltados.  Tem o título de 'Poeta dos Escravos'. Morreu de tuberculose, aos 24 anos.

                                                         Álvares de Azevedo 


elfandarilha



Escritor importante da segunda geração romântica da literatura brasileira e autor de Noite na Taverna. Foi o primeiro a incorporar o cotidiano na poesia no Brasil. Antônio Álvares de Azevedo morreu aos 21 anos, após complicações causadas por uma queda de cavalo.


                                                           Casimiro de Abreu


elfandarilha



Ele foi outro representante da segunda geração do romantismo brasileiro, autor de obras como Carolina e A Cabana. Tornou-se um dos poetas mais populares do Romantismo no Brasil. Seu sucesso literário, no entanto, deu-se somente depois de sua morte, com numerosas edições de seus poemas, tanto no Brasil, quanto em Portugal.  Morreu de tuberculose, aos 21 anos.

Wikimedia Commons




* Todos os caminham levam à morte. Perca-se. - Jorge Luis Borges -



4 comentários:

  1. Há um outro poeta que também morreu de tuberculose, não da parte literária, mas da música brasileira. Um pouco mais recente que os citados, mas grande poeta também, e como tenho particular admiração por ele, não posso deixar de comentar: Noel Rosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Bruno um grande nome, e como os aqui citados deixou-nos muito precocemente.

      Obrigada pelo comentário

      Excluir
  2. Muitos escritores eram também boêmios e levavam uma vida um tanto quanto desregrada, o que facilitava algumas doenças. Como a saúde antigamente não era tão evoluída, muitos morriam cedo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os hábitos, pois é.

      Obrigada pelo comentário

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo