domingo, 7 de dezembro de 2014

Palavra do ano de 2014 disponível para votação







No dia 01 de dezembro foi divulgada pela Porto Editora - Portugal a lista com as 10 palavras concorrentes à palavra do ano.

Até o dia 31 de dezembro a votação pode ser efetuado pelo site http://www.infopedia.pt/palavra-do-ano/ e será conhecida nos primeiros dias de janeiro. 

A lista das dez palavras foi feita tendo como base os seguintes critérios: 

Frequência de uso e relevância assumida, quer através dos meios de comunicação e das redes sociais, quer da utilização dos dicionários da Porto Editora nas suas versões "online" e "mobile".


O termo "basqueiro", foi utilizado pelo atual ministro da Economia, em um debate parlamentar.


O vocábulo Banco foi colocado no centro do cotidiano pela  polêmica em torno da situação de uma instituição bancária, levando ao aparecimento das expressões como banco bom e banco mau.


A utilização de plataformas digitais, como as redes sociais, com fins de diversão em exercício de funções profissionais, é um fenômeno cada vez mais frequente e já começa a ser objeto de análise jurídica, daí surgiu o termo "cibervadiagem".


Foram sendo conhecidos ao longo do ano vários casos de suspeita de corrupção em vários setores da sociedade, com o envolvimento de personalidades e entidades públicas e culminou com a escolha da palavra "corrupção".


A opção pela palavra "ébola" relaciona-se ao surto do vírus, que foi e continua sendo preocupação.


Outra preocupação em Portugal foi o surto de "legionela", o impacto fez com que o uso do vocábulo se tornasse generalizado.


Em inúmeros contextos - educação, saúde, política, se faz uso de técnicas características de videogames para solução de problemas práticos ou motivar um público específico para determinado assunto. Essa estratégia tem o nome de "gamificação".


A utilização das novas plataformas como forma de propagando à escala global colocou o "jihadismo", presentes no Iraque e na Síria, no topo da agenda mediática e das conversas.


O termo "selfie" é um estrangeirismo e mais do que moda, que este ano, segundo a editora, entrou no cotidiano dos portugueses e com presença constante nas redes sociais.


Lutar pela vida que também é definida por "xurdir", justifica-se dadas as circunstâncias sócio-econômicas que o país atravessa e também segundo a editora pela riqueza da língua portuguesa o termo teve um aumento significativo de utilização.


A iniciativa realizou-se pela primeira vez em 2009 e a palavra do ano foi Esmiuçar, muito usado por um programa de televisão. 

Em 2010 no ambiente de disputa do Campeonato Mundial de Futebol a palavra escolhida foi Vuvuzela. 

Em 2011 dadas as condições em que viviam as pessoas o termo foi Austeridade (rigor teórico no controle de gastos). 

Para 2012 a eleita foi Entroikado (adjetivo que define - obrigado a viver sob as condições impostas pela Troika (equipe constituída por responsáveis da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional e que negociou as condições de resgate financeiro em Portugal). 

2013 a palavra foi Bombeiro. A razão para a escolha do termo foi que no verão de 2013 os bombeiros demonstraram enorme coragem no combate a violentos incêndios que tiraram vidas e destruíram florestas.


E se fosse no Brasil, qual seria a palavra? Tem um palpite, esteja à vontade para deixá-la no comentário.




* Posso resumir em três palavras o que aprendi sobre a vida: a vida continua. 
- Robert Frost -




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.