segunda-feira, 21 de março de 2016

Brasil, de aspirante a líder do bloco das economias emergentes à economia decandente


Lula era, antes da Operação Lava Jato, de longe, a figura mais popular na política do Brasil.
O PT prometeu devolver o poder ao povo. Lula não fez combate à corrupção, é o contrário.
Herdou o Brasil nos trilhos, de Fernando Henrique Cardoso, que tratou do problema da moeda e inflação. 

Os primeiros anos da história de Lula comoveu muitos, mas histórias românticas e bonitas nem sempre terminam bem.
O PT apoiou-se no sistema de "bolsas", que ao primeiro abalo vão ao chão. 
O petismo desiludiu muitos, restam alguns artistas e pouco mais.
Dilma foi uma péssima escolha, foi uma escolha dinástica. Dilma foi para Lula o que foi Raul para Fidel Castro.

Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS


Oposição no Brasil se existe, não é expressiva. Tem uma elite riquíssima em São Paulo uma elite colonial, em pleno século XXI, continua a ser uma elite colonial. Corrupção é uma coisa antiga no Brasil.
30% dos membros do Congresso Nacional estão sendo investigados, entre eles os presidentes da Câmara e do Senado (e isso não deve ser a porção exata daqueles que deviam estar sendo investigados).

O Brasil teve a sua oportunidade e o PT ocupou os cargos como uma oligarquia. Das grandes apostas econômicas Lula fez todas as apostas erradas, uma delas o maior empresário Eike Batista, que acreditou em Lula (ou seria o contrário?), é um dos exemplos. Muitas apostas e escolhas erradas justificam, em parte, ser hoje o PT odiado.

Aceitando assumir o cargo de Ministro da Casa Civil, deu em Dilma um "beijo de morte". Isto é uma ato de culpabilidade e arrasta Dilma com ele. De solução, passou a grande problema.

E o futuro?

As consequências do colapso possível no Brasil é catastrófico para a América do Sul. O Brasil costumava ser chamado pelos vizinhos de "gigante da América do Sul". Gigante que tanto poderia influenciar sua vizinhança por sua "saúde" ou "por seus problemas". Analistas estão atentos aos fatos políticos, "como o risco de impeachment" e seu possível efeito nos investimentos internacionais.

Houve uma avaliação na Itália que fez um paralelo entre a Operação Mãos Limpas e a Operação Lava Jato e o resultado apresentado foi:
A corrupção2.0 muitas vezes sofistifica-se e esconde-se em forma mais elaborada. Nada garante que a Operação Lava Jato vá resolver o problema da corrupção, infelizmente. Eliminar a corrupção no Brasil não se resolverá com facilidade.

O país precisa de solução.


“O dinheiro não é só facilmente dobrável como dobra facilmente qualquer um.” - Millôr Fernandes -


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.