quinta-feira, 2 de abril de 2015

Tradições e crenças de Páscoa


Tradições e crenças fazem parte dos hábitos culturais de uma sociedade e isso implica em festividades únicas, como as que acontecem em vários países.  As comemorações de Páscoa, algumas das quais estranhas aos nossos olhos.



Grécia

© Shutterstock

No mundo inteiro é natural observarmos ovos multicoloridos e graciosamente decorados, mas não é o que acontece no "Berço da Civilização Ocidental". Não há espaço para ovos coloridos, que não sejam da cor vermelha. Isso não foi escolhido aleatoriamente: o ovo é visto pelos cristãos como o símbolo da ressurreição - enquanto está fechado, contém uma nova vida dentro dele - e o vermelho representa o sangue de Jesus Cristo, derramado após sua crucificação.



Polônia

© Creative Commons/Alex Ridgway/Flickr

Uma das mais divertidas tradições da Semana Santa vem deste país e se chama Śmingus-Dyngus. Na segunda posterior à Páscoa o país celebra a Śmingus-Dyngus, um evento pagão de origem incerta, porém anterior ao século XI. Meninos e até adultos divertem-se tentando molhar todas as meninas que encontrarem, com água. Como manda a tradição, após banhá-las, os meninos devem entoar os versos Dyngus, dyngus, para dois ovos; não quero pães, mas sim ovos. Para tal, portam baldes, bexigas, pistolas d'água ou qualquer outro objeto que possam ter em mãos. Reza a lenda que aquela mulher que ficar encharcada irá se casar dentro de um ano.



Itália

© Shutterstock

A "Colomba di Pasqua" (pomba da Páscoa) é um bolo tradicional neste país durante a Semana Santa. Curiosamente sua origem remonta a Inglaterra dos anos 1930. Hoje, este doce é o mais difundido e comercializado em toda a nação e foi oficialmente incluído na lista de produtos agroalimentares tradicionais italianos.



Eslováquia e República Checa

elfandarilha
© Shutterstock

Nestes dois países, homens e meninos perambulam pelas ruas durante o domingo de Páscoa, segurando galhos de salgueiro alegremente decorados, geralmente com fitas, ovos e outros adornos. O açoitamento não é doloroso, e sim destinado a promover a saúde e a beleza.



Austrália

© Shutterstock

Eis uma ideia interessante que promove a conscientização social e ajuda uma espécie em vias de extinção. Confeiteiros neste país aproveitam a Páscoa para popularizar o Bilby, fazendo versões de chocolate deste pequeno marsupial que parece uma mistura entre rato e coelho.



Noruega

elfandarilha
© Shutterstock

A tradição deste país é diferente de qualquer outra. Chamada Paaskekrimmen, a Páscoa norueguesa é uma época na qual sua população aproveita para ler romances policiais. O movimento começou em 1923, quando uma editora promoveu uma história de crime nas primeiras páginas dos jornais, enganando os leitores, que não sabiam se era notícia ou um golpe publicitário.



Espanha

© Creative Commons/dantzan/Flickr

Esta tradição ocorre na pequena cidade de Verges. Na Quinta-feira Santa é realizada a dansa de la mort (dança da morte), com desfiles pelas ruas e pessoas vestidas de esqueletos. A dança macabra começa à meia-noite e prossegue pelas três horas subsequentes, com o objetivo de reviver cenas da Paixão - os sofrimentos físicos, espirituais e mentais que Jesus Cristo passou antes de sua morte.



Inglaterra

© Shutterstock

Na Inglaterra, por exemplo, os "hot cross buns" são extremamente populares durante a Páscoa. Diversas lendas giram em torno destes pães. Há quem garanta que eles servem para fins medicinais e que, se forem dados a alguém doente, ajudarão em sua recuperação. Outras pessoas juram que eles são um excelente amuleto protetor para viagens em alto-mar. E há, também, quem diga que, uma vez pendurado na cozinha, o pão protegerá o ambiente contra incêndios. De qualquer maneira, trata-se de um alimento muito especial para os ingleses.
Os chamados "hot cross buns" são pães adocicados e apimentados, recheados com frutas secas e com uma cruz no topo simbolizando a morte de Jesus Cristo. Durante o reinado de Elizabeth I, o secretário de Mercados de Londres emitiu um decreto proibindo a venda destes pães, exceto nos enterros, na Sexta-Feira da Paixão e no Natal. Como resultado, os "hot cross buns" eram feitos principalmente nas cozinhas domésticas.



Aústria

© Shutterstock

Entre a Quinta-feira Santa e a missa matinal do domingo de Páscoa, não é possível escutar som de sinos tocando nas igrejas deste país. De acordo com uma tradição religiosa, todos os sinos voam para Roma e, para substituí-los, os coroinhas utilizam chocalhos de madeira.



Finlândia

© Shutterstock

A Páscoa deste país escandinavo é semelhante ao Dia das Bruxas. As crianças percorrem as ruas vestidas de feiticeiras, com lenços em volta da cabeça, portando vassouras, e cachos de galhos de salgueiro. Em algumas regiões mais remotas, as pessoas queimam fogueiras no domingo de Páscoa, uma tradição popular decorrente da crença de que as chamas afastam as bruxas.

Créditos:  MSN



* Além das aptidões e das qualidades herdadas, é a tradição que faz de nós aquilo que somos. - Albert Einstein - 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.