quarta-feira, 15 de abril de 2015

Por-Bajin, quem construiu e porquê está abandonada?


Fortaleza, palácio de verão, mosteiro, ou até mesmo um observatório astronômico
Foto: gdehorosho.ru Bajin 

Por-Bajin, na língua Tuvan significa "casa de barro", é legalmente tratado como um dos monumentos arqueológicos mais misteriosos da Rússia.

É uma ilha que está localizada no lago Tere-Khol, entre as Montanhas de Sayan e Altai, nas fronteiras da Rússia e Mongólia. Sua extensão é de cerca de três mil m/2, no extremo sul da Sibéria, desconhece-se as razões para ter sido construída e os motivos para estar abandonada.

Segundo o Daily Mail, historiadores e cientistas divergem em suas teorias, acredita-se que dada sua localização isolada, tenha sido construída para atrair pessoas e em seguida aprisioná-las.

Foi explorado pela primeira vez em 1891. Uma outra escavação aconteceu mais tarde em 1957 e uma grande escavação foi feita em 2007, sob a responsabilidade da arqueóloga Irina Arzhantseva. 

Foram encontrados vários objetos datados de meados do século VIII a.C, época em que a região estava sob o domínio uigure. 

No site oficial do monumento há esta referência: "Aparentemente foi construído durante o período do império nômade Uighur Khagante, mas não se sabe porque é que eles construíram uma fortaleza num local tão isolado, longe das rotas comerciais e dos povoados".


Por-Bajin no mapa de Uighur Kaganate
Foto: Irina Arzhantseva

Não se sabe ao certo de que forma e porquê foi construída. Várias suposições: 

Que seja obra de um povo nômade de origem turca cujo império estendia-se da Mongólia até o sudeste da Sibéria, os Uigures. Seus descendentes habitam hoje a região do oeste da China.

O filho de Krishna Pradhyumna estabeleceu um reino na Sibéria. Acredita-se que um palácio construído por ele é em Por Bajin.
Existe notável semelhança com Dwaraka de Krishna, agora escavado ao largo da costa de Gujarate, na Índia.

Outra dúvida: os materiais usados mostram que foi construído seguindo o modelo chinês. Em um artigo publicado na european Archaelogist em 2011, a arqueóloga Irina Arzhantseva declarou: "O edifício segue provavelmente as características de construção da arquitetura chinesa da Dinastia T'ang". "Descobertas de fragmentos de madeira queimada mostram o uso de uma técnica tipicamente chinesa, chamada dou-gung, usada para interligar os suportes de madeira, acrescentava o artigo.

Referências: ramanan50.wordpress.com/ noticiasaominuto.com/ Daily Mail.com



* Estamos condenados à civilização. Ou progredimos ou desaparecemos. 
- Euclides da Cunha -


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.