quarta-feira, 6 de abril de 2016

Mulheres integram linhas de frente em conflitos



A ideia da mulher em combate não é produto do século XX.

Na Idade Média, período em que vários conflitos aconteceram na Europa, as mulheres puderam provar suas habilidades militares como cavaleiras. Entre mito e história, elas foram líderes importantes. Joana d'Arc foi uma camponesa francesa que comandou parte do exército francês na Guerra dos Cem anos (1337-1453) e se tornou santa e mártir da França; Maria Quitéria foi a primeira mulher a servir oficialmente ao exército brasileiro na Guerra do Paraguai (1864-1870); Boudica foi rainha do povo britânico celta e comandou os icenos contra a dominação romana na Bretanha (ano 60 ou 61 d.C.).

A primeira guerra mundial (1914-1918)
Nas fábricas, trabalhavam na produção de armamentos e munições, embalagens, ferramentas. Toda a indústria estava voltada a suprir às necessidades da guerra.

A segunda guerra mundial (1939-1945)
A experiência da Primeira Guerra foi aproveitada e intensificada, e, já em 1940, o número de mulheres empregadas nas fábricas atingiu a capacidade máxima. A quantidade de órgãos militares praticamente dobrou e, em todos os cantos do mundo, elas apareceram como soldadoras, enfermeiras, pilotos de aviões, motoristas, secretárias, datilógrafas, etc.. Enfim, estavam em toda parte.

Hoje as mulheres estão em muitas linhas de frentes em conflitos. Confira

Paquistão

Ayesha Farooq, a única piloto-mulher das forças armadas do Paquistão a pilotar caça, entra em um F-7PG chinês na base de Mushaf, norte do Paquistão
elfandarilha© ZOHRA BENSEMRA/Newscom/Reuters

Israel

Soldadas israelense do batalhão de Caracal ajudam uma colega na marcha
 title=© STRINGER/Newscom/Reuters

Ucrânia

Uma militar ucraniana posa no campo de Luhanske
elfandarilha© DAVID MDZINARISHVILI/Newscom/Reuters

Iraque

Mulheres curdas fazem exercícios de guerra
elfandarilha© AHMED JADALLAH/Newscom/Reuters

Síria

Um Jaafar, uma combatente do Exército Livre da Síria, posa com o marido Abu Jaafar, um comandante da entidade de direitos humanos Sawt al-Haq e a filha Faten em Aleppo. Antes de entrar na luta contra o governo ela era cabeleireira.
elfandarilha© MUZAFFAR SALMAN/Newscom/Reuters

Siria

Um grupo de mulheres militares passa por treinamento em Nazek Obeid
elfandarilha© MUZAFFAR SALMAN/Newscom/Reuters

Líbia

Combatentes voluntárias vão a um congresso para mulheres
elfandarilha© LOUAFI LARBI/Newscom/Reuters


Israel

Curso IDF infantaria instrutores, semana de treinamento no sul de Israel, incluiu exercícios individuais e em grupo, prática de navegação, dormir no treinamento de campo e camuflagem. No final do curso, os soldados do sexo feminino são colocados em várias posições, instruindo Forças Terrestres IDF. Foto do dia 23 de agosto de 2011.

elfandarilha
© Israel Defense Forces


“Onde a mente é maior, o coração, os sentimentos, a magnanimidade, a caridade, a tolerência, a bondade e o resto delas dificilmente consegue respirar.” - Virginia Woolf -


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo