terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Coisas na política, onde está a lógica?



A reunião não é recente, mas a dúvida por enquanto, existe.

A deputada Nilda Gondin (PMDB - PB), na véspera da posse dos deputados e senadores (31/01/2015) ofereceu um chá às mulheres dos deputados no qual esteve presente por alguns minutos, o candidato à Presidência da Câmara Eduardo Cunha. A intenção era solicitar ao então candidato, em caso de vitória, que analisasse o retorno da cota de passagens aéreas para as mulheres dos políticos.

Vale lembrar que depois do escândalo pelo uso indevido das passagens de cotas parlamentares para viagens de férias e de familiares, a Câmara decidiu que apenas os deputados teriam direito a passagens, excetuando-se assessores, desde que autorizado pela Mesa Diretora.



No Brasil vota-se em Antonio e elege-se Miguel, como se não fosse nada algumas mulheres de deputados acham que devem ter direito à passagens aéreas! 

Analisando a questão, só aparecem perguntas, resposta nenhuma e lógica nem vê-la.

1-  Foi a pedido do contribuinte que o deputado candidatou-se?
2- O contribuinte exige que as mulheres dos deputados os acompanhem nos compromissos?
3- Não percebem estar mulheres de deputados que existem duas outras opções práticas para evitar que os cargos dos maridos prejudiquem suas carreiras? 

- Duas sugestões, minhas como contribuinte:
a) Divorciem-se.
b) Peçam aos maridos que renunciem.

Simples, práticas e certamente a solução, sem que o contribuinte honesto e trabalhador tenha que pagar mais essa conta.

A questão é: o deputado foi eleito para presidência da Câmara, atenderá esse pedido descabido?

Matéria completa O Globo de 31/01/2015, com as justificativas de algumas mulheres aqui


E já que o assunto é eleição:

No dia seguinte 01 de fevereiro foram eleitos os presidentes da Câmara e Senado, curiosamente a eleição nos dois órgãos não faz uso do mesmo equipamento (urna eletrônica) que o povo. Não seria o ideal usar a urna eletrônica já que o resultado é bem mais rápido e a urna é segura?  
Votam em papel e a contagem é diante de todos, oposto da forma adotada quando foram eleitos!




Na foto, Paulo Rocha (PT), o novo integrante paraense no Senado, depositando o seu voto na urna.

No Brasil realmente acontecem coisas que carecem de explicações!




* Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas 
que você é, você não é. - Margaret Thatcher -



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.