terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Personagens de 2014 que poderiam ter cumprido melhor suas funções



Certamente ficarão na memória e na história do país, e não por terem dado o melhor de si, é justamente o contrário.





Na abertura do ano legislativo André Vargas aproveitou para fazer provocações ao presidente do STF, Joaquim Barbosa. Durante a solenidade, o petista reproduziu o gesto dos companheiros condenados pelo mensalão no momento da prisão. Em 25 de abril apresentou sua desfiliação do PT. Vargas sofria pressão do partido para renunciar ao mandato devido às denúncias de envolvimento dele com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal durante as investigações da Operação Lava Jato. Teve seu mandato cassado em 10/12/2014 e não poderá disputar eleições até 2022.





Este é seu 11º mandato o Deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN, Presidente da Câmara) em 2014 não reelegeu-se. Alves perdeu a eleição para o governo do Rio Grande do Norte, tinha cadeira garantida no Ministério do Turismo ou na Secretaria dos Portos, a partir de 2015, tinha, passado. 
Seus feitos no último dia antes do início do recesso legislativo - A Câmara dos Deputados aproveitou para publicar concessão de aposentadoria deu posse à deputada Rosy de Souza (RN-PV), suplente de Paulo Wagner (PV-RN), que conseguiu se aposentar por invalidez na semana passada. Assim, Paulo Wagner irá receber seu salário integral, além do vitalício e generoso plano de saúde da Casa, e Rosy de Souza, mesmo sem participar de uma sessão sequer, terá direito a quase todos os benefícios de um parlamentar.

Questionado sobre a situação da nova deputada e sobre as demais medidas tomadas no apagar das luzes, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves explicou que "Tudo passa pela Diretoria-Geral. São questões técnicas, não são políticas". Em 23 de dezembro Henrique Eduardo Alves, pediu ao Vice-presidente da República, Michel Temer, que não considerasse o seu nome entre os incluídos pelo PMDB para compor o honroso novo ministério porque faz questão que seja esclarecida a citação absurda envolvendo o seu nome. Seu nome foi citado por Paulo Roberto Costa no processo de corrupção da Petrobrás.



(Foto: Evaristo Sá/AFP) Graça Foster


Maria das Graças Foster, apesar do gigantesco escândalo de corrupção (calculado em bilhões de dólares) que envolve a petroleira estatal e que provocou, entre outros danos, grandes perdas no valor da companhia, será mantida no cargo. Foster afirmou que não teve conhecimento das denúncias de corrupção contra a Petrobras até este ano e negou ter sido alertada em 2009, 2011 e 2012 por uma ex-funcionária, Venina Velosa da Fonseca, como publicou no fim de semana passado o jornal Valor Econômico. Enquanto as maiores petrolíferas do mundo tiveram um crescimento médio acima de 20% nos últimos quatro anos, a Petrobras desvalorizou-se 80,4% entre dezembro de 2010 e dezembro deste ano. Mas a presidente do país diz que conhece a presidente da Petrobrás, portanto continuará no cargo. 





Mantega não nasceu no Brasil. Nasceu em Gênova, na Itália, e veio ainda bebê com os pais para o Brasil. Em janeiro de 2003 foi escolhido para assumir o Ministério do Planejamento, quase dois anos depois assumiu a Presidência do BNDES. Virou ministro da Fazenda quase que por acidente, em 2006. No início de 2006, há pouco mais de um ano no BNDES uma reportagem do Estadão revelou uma das crises mais dramáticas do governo Lula, que sofria, então, o auge do escândalo do mensalão. A crise pegava Palocci (então Ministro da Fazenda) em cheio e sua demissão foi decidida em 26 de março daquele ano. Mantega foi chamado às pressas, era um Ministro tampão. Mas 2006/07/08/09/10/11/12/13 e está para terminar 2014, no cargo. 

Se tivesse saído em 2012 teria um currículo praticamente imbatível. De 2006 a 2011 o país registrou as mais altas taxas de crescimento dos últimos 30 anos, obteve a mais baixa taxa de inflação do governo PT em 2006. Mas as coisas mudaram muito. O ciclo econômico mundial acabou em definitivo em 2011 e 2012. Os preços do commodities que exportamos despencaram reduzindo nosso saldo comercial, a indústria de transformação foi a que mais sofreu, quando o país crescia sob uma taxa de câmbio em constante valorização.

A política fiscal virou o ponto mais fraco da economia nos últimos três anos, apesar de sólida em 2011. Mantega  passou a prometer e não cumprir e isso arranhou a credibilidade do país perante o mercado, em especial aos olhos do empresariado que diminuiu muito os investimentos. A economia foi parando, até despencar de vez.
 
No primeiro semestre de 2014 a economia passou por uma recessão técnica, ao registrar dois PIBs  com sinal vermelho. A dívida do país está aumentando, 56,5% do PIB em dezembro/2013 esteve em 61,7% em setembro/2014. Mas mesmo assim PIB zero e dívida em alta, a inflação nunca cedeu, apesar das promessas. Mantega  entregou o menor IPCA do PT em 2006, está prestes a entregar um dos maiores, até novembro acumula 6,75% de alta acima do teto da meta perseguida pelo Banco Central, a inflação em dezembro deverá ser em torno de 6,3%.

E por que a inflação não diminui apesar das desonerações tributárias concedidas pelo governo? Mantega  deve deixar o governo, teve anunciada sua saída em setembro/2014,  sem que essa pergunta tenha uma resposta clara.



* A futilidade é a alma gêmea da ignorância. A arrogância é a alma gêmea da incompetência. A vaidade é a mãe delas. - Maria Angélica Carnevali Miquelin -




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo