segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Por que dividimos o tempo em 60 minutos e 60 segundos?



Foi a civilização suméria, em 2000 a. C., que criou o sistema numérico sexagesimal. A escolha é bastante particular, já que a maioria das sociedades humanas escolheu 5, 10 ou 20 como seu número-base. 


Os sumérios achavam o 60 bastante flexível já que ele é o menor número simultaneamente divisível por 1, 2, 3, 4, 5 e 6. Se isso já é uma vantagem hoje, imagine naquela época, quando as continhas eram feitas usando os dedos das mãos. Foi essa facilidade que fez com que o 60 ganhasse aura de número mágico e se tornasse tão importante para aquele povo.





Essa base sexagesimal deu origem a diversas unidades antigas, como a dúzia (12), submúltiplo de 60 (60 dividido por 5), que foi usada para dividir a parte clara e a parte escura do dia em 12 horas cada. "Só não dividiram as partes do dia em 60 porque ainda não havia instrumentos que pudessem chegar a essa fração tão pequena de tempo", diz Roberto Boczko, do Instituto de Astronomia da USP. Quando os instrumentos tornaram-se mais precisos, notou-se a possibilidade – e a necessidade – de subdividir-se a hora. 


Assim, em 1670, surgiu o minutum que, em latim, significa pequeno. 
Foi o cientista holandês Christian Huygens, responsável pela divisão, quem decidiu manter a tradição suméria. Por volta de 1800, a necessidade de medir intervalos ainda menores levou ao aparecimento de um pequeno de segunda ordem, o que hoje chamamos só de segundo. E mais, milésimo de segundo, centésimo de segundo ...


* Um homem que ousa desperdiçar uma hora ainda não descobriu o 
valor da vida. - Charles Darwin -


2 comentários:

  1. Pow, legal... achei que tinha vindo tudo de fábrica, mas os minutos e os segundos vieram depois... kkkkk

    abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos relógios vem, no tempo é não Bruno, óbvio.

      Obrigada

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.